sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

LOGO EU!

Logo Eu!

IMAGEM UGLY


Tenho pensado tanto em suportar a dor, logo eu, ser humano amor seu constituído de músculo, carne e osso, pele, cor... Tenho tanto a falar e ainda assim basta um simples olhar seu e me faltam elas, as palavras, mas você me entende no silêncio que nos cerca e seguimos ali e aqui, dentro e fora de nós mesmos, ao sul e norte dos corpos que falam mais que o silêncio meu. E seu. Quem ama não pensa em linearidade, talvez os filmes Hollywoodianos de outrora tenham me deixado mal acostumado: quero uma continuação de histórias com finais felizes, onde o amor sempre vence, mesmo que sujeito a criticas fundamentadas apenas ao desuso da razão. Pensando bem, estar longe é estar perto, em pensamento. Acostumamo-nos a sentir a presença da ausência de maneira mais significativa, valorizando mais o objeto amoroso numa ocasião seguinte. A gente precisa conversar mais, para que não nos apaguemos em meio a tantas estrelas anônimas que brilham numa noite de verão, para que eu volte a ser eu, para que eu volte...

Gleidi Campos (Amorinha)

3 comentários:

Águia disse...

Ler voce já me acostumei,agora tenho que me acostumar como formatas. Adoro o que escreves,embora sempre diga que não é poetisa.E eu sempre discordo, agradeço a DEUS por ler algo que me leva em outros ares, este é o significado da poesia pra mim .Beijos poéticos

Gleidi disse...

Obrigada Águia!
Carinho por ti!
Beijo!

Malu disse...

Tua capacidade de expressar os conflitos humanos é sempre surpreendente. Teu estilo é único. Foge da mesmice que assola por aí, via internet - publicação fácil. É surreal e por isso, incontestável. Ler-te é sempre um grato acontecimento. Amo-te, Belle de Jour! Bj.