quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

CAMINHADAS EM RUAS ERRANTES

Caminhadas em ruas errantes


FOTO DDiArte

Ando...
Não paro...
passos largos
passos curtos
...ando...
A cabeça não pára
guia os passos
o medo trava
com medo corro
Tropeço
caio
como poeira
levanto
olho para o céu
sem limites
tento alcançá-lo
Chove...
chuva quente
água salgada
me lava...
Lava
queima
efervesce
e
ferve
Fermenta
aduba
fecunda
renasço!
Rose Chiossi

3 comentários:

Malu disse...

Ritmo deliciante. Comemos poeira e seguimos andando, rumo ao sempre. Poema forte, rítmico, muito, muito bom!

Malu disse...

A foto tmbm tá lindimais...

Miss T disse...

Muito bom, gostei da caminhada, do ritmo, da energia. Beijo Rose!