sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

POEMA DE TARJA PRETA

Poema da Tarja Preta
(foto Daniel Coelho)

Traço apressados rabiscos
Tremendo; temendo riscos,
Dos psicotrópicos, o efeito:
Trazerem-me à razão!

Deixem-me voar mais um pouco
Solta; sem correntes arco-íris
Multiformes e amargas

Não quero tocar no chão agora...
Aviso, eu juro, quando for a hora!

(Quero por mais um segundo
Ser sem preciso estar...)

Deixa-me ao menos concluir este rabisco?

Lena Ferreira-2009

2 comentários:

Malu disse...

Totalmente psicotrópico. Ahhhhhhh... ADORO!!!

Amote, sabes! Bjão.

Rose Chiossi disse...

Louca, doida e adorável!

bjuuu